CASO DE SUCESSO - APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

Assim que recebemos o apelo do Irmão José Paulo, diretor do Centro de Saúde Mental S. João de Deus, respondemos com o envio de 6 mil euros. Esse valor já permitiu que se respirasse melhor em Nampula e que os doentes pudessem voltar a ser alimentados de forma mais correta. A bondosa ajuda de todos os amigos e benfeitores permitiu juntarmos o valor aqui descrito, 6995 euros, e o mesmo já foi depositado nas contas do centro e convertido em meticais nos primeiros dias de outubro de 2017. De acordo com o testemunho do Ir. José Paulo este novo depósito de quase 7 mil euros vai deixar o centro mais tranquilo nos próximos seis meses. A necessidade de ajuda à missão dos Irmãos no cuidado dos doentes em Moçambique é, no entanto, permanente e por isso estamos a reunir esforços para enviar um contentor cheio de bens essenciais ao centro. Desde alimentos não perecíveis, a produtos de limpeza, material de escritório, entre outros. Pedimos-lhe que esteja atento, em breve faremos novo apelo.

É preciso comida! O Orçamento de Estado para 2017 de Moçambique entrega uma fatia muito reduzida para fazer face às despesas do Centro de Saúde Mental S. João de Deus em Nampula e é por isso que neste momento se levantam enormes alertas face a um futuro demasiado próximo. Com as recentes mudanças já se raciona na luz, no gás, na água, nas saídas com o carro e, há várias semanas, as refeições resumem-se a farinha ou arroz com feijão. A situação de “apertar o cinto” é uma realidade bem conhecida do centro, mas nada como se prevê para este ano.

ÂMBITO DA CAMPANHA

Os Irmãos de S. João de Deus auxiliam em Nampula, todos os anos, centenas de doentes e respetivas famílias. Há 10 anos que os Irmãos fazem o melhor que podem e gerem da melhor forma o dinheiro que chega do Estado moçambicano para cuidar de todos os doentes. Dar-lhes o máximo de conforto, de higiene e de comida possível. São precisos alimentos não perecíveis, alimentos frescos, produtos de limpeza e higiene, material de escritório, colchões.

Desde 1681 que a Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira está nesse país africano. Primeiro a assistir doentes mentais e leprosos. Depois, em 1943 a Ordem assumiu a administração de um Hospital Psiquiátrico em Marracuene. Em 1959 foi criado o hospital psiquiátrico em Maputo. Em Nampula foi feito o mesmo em 1971. Após a independência do país, em 1975, os hospitais da Ordem foram nacionalizados. Desde 2007 que a presença dos Irmãos Hospitaleiros Portugueses em Moçambique se mantém em Nampula devido a um protocolo de cooperação assinado entre a Província Portuguesa e a Ordem em Moçambique.

ANGARIADO

€6.995

100
OBJECTIVO ALCANÇADO

DATA LIMITE PARA APOIAR

PRAZO TERMINADO